Por qual motivo os Estados Unidos se opõem à aquisição da produtora de jogos Activision Blizzard pela Microsoft? – 12/09/2022

A Microsoft, fabricante do Xbox, está enfrentando uma batalha legal nos EUA por sua aquisição planejada da empresa de jogos Activision Blizzard, responsável por jogos de sucesso, como Call of Duty e Candy Crush. As autoridades regulatórias citam preocupações com a concorrência e temem que, se o acordo for concluído, os jogos da Activision Blizzard deixem de ser oferecidos em consoles de videogame que não são da Microsoft.

O acordo em questão foi descrito como a maior aquisição da história da Microsoft, no valor de US$ 69 bilhões, e a companhia disse que lutará para concluir o acordo. A promessa do presidente americano, Joe Biden, de adotar uma linha mais dura contra os monopólios, resultou em algumas das batalhas legais de maior destaque que a Microsoft herdou.

A aquisição já havia levantado preocupações em outros países, incluindo o Reino Unido. A Activision Blizzard é dona de alguns dos jogos mais populares do mundo, incluindo a série Chamada à ação, World of Warcraft, Overwatch e Candy Crush.

A Comissão Federal de Comércio (FTC), órgão de proteção ao consumidor dos Estados Unidos que entrou com a ação, disse que a Activision era uma entre um pequeno número de grandes desenvolvedores de videogames que faziam jogos de alta qualidade para vários dispositivos. O acordo daria à Microsoft “tanto os meios quanto os motivos para promover a concorrência”, seja manipulando preços, tornando os jogos piores nos consoles de videogame dos concorrentes “ou retendo totalmente o conteúdo dos concorrentes, resultando em prejuízos aos consumidores”, afirmou a agência em comunicado à imprensa.

A FTC também citou a aquisição da ZeniMax pela Microsoft, proprietária do estúdio de videogames Bethesda Softworks. A Microsoft disse que vários dos futuros jogos do estúdio serão exclusivos para consoles da Microsoft.

Embora a Microsoft tenha anunciado que havia concordado em disponibilizar o jogo Call of Duty para a Nintendo por 10 anos se a compra fosse concluída, isso ainda é alarmante para alguns. A CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, garantiu aos funcionários que a alegação de que o acordo é anticoncorrência não condiz com os fatos, e acredita que vencerão este desafio.

A intenção da Microsoft ao realizar essa aquisição é expandir os jogos disponíveis no GamePass, seu serviço de jogos por assinatura no estilo Netflix, para o número cada vez maior de pessoas que usam o celular para jogar. A empresa quer se tornar a terceira maior empresa de jogos do mundo em receita, atrás apenas da chinesa Tencent e da japonesa Sony, dona do Playstation, que criticou o acordo.

Em resumo, a aquisição planejada da Microsoft da empresa de jogos Activision Blizzard enfrenta desafios legais nos EUA devido a preocupações com a concorrência, afirmando que os jogos da Activision Blizzard podem deixar de ser oferecidos em consoles de videogame que não são da Microsoft, além de outras preocupações relacionadas à manipulação de preços e retenção de conteúdo. A Microsoft planeja expandir os jogos disponíveis no GamePass e se tornar a terceira maior empresa de jogos do mundo em receita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *